fbpx
Início / Notícias / Samu Regional entra em fase final para implantação
Samu Regional entra em fase final para implantação

Samu Regional entra em fase final para implantação

A implantação da primeira fase do Samu Regional do Leste de Minas Gerais está mais próxima. Na última terça-feira (21), o Consórcio Intermunicipal de Saúde da Rede de Urgência e Emergência do Leste de Minas (Consurge) entregou mobiliários e equipamentos para as quatro bases que atenderão a região do Vale do Aço, em Coronel Fabriciano, Belo Oriente, Caratinga e Timóteo.

Segundo o superintendente Regional de Saúde, Ernane Duque Júnior, a previsão é até 15 de agosto entregar ao Governo de Minas toda a estrutura para o início da primeira fase de implementação. A partir dai, ficará a cargo do Estado implementar, de fato, o Samu Regional no Vale do Aço.

O superintendente afirmou ainda que as ambulâncias para a primeira etapa também estão em fase final de adaptação para atender as nove bases do Vale do Aço e Vale do Rio Doce. “O custo de manutenção inicial do Samu Regional é de R$ 700 mil por parte do Estado. Esperamos dentro de 30 a 60 dias o Samu funcionando já na região”, afirmou.

Com a extinção do antigo consórcio, chamado de Cisvales e a adesão dos municípios do Vale do Aço ao Consurge, menor fica o valor de custeio do sistema como um todo. Uma das administrações que não aceitaram a entrar no escopo do Samu Regional é Ipatinga, por exemplo. O Estado esperava contar com as ambulâncias que já atendem ao Samu Municipal, mas a negativa obrigou a um redesenho da rede de atendimento e mais demora na implantação.

A deputada estadual Rosângela Reis (Podemos), uma das principais lideranças na luta pelo Samu Regional desde 2013, alertou para a demora da implantação do serviço.

“Chegaram a dar a expectativa para 31 de março. A pandemia do coronavírus atrasou o cronograma e entendemos. Mas os recursos estão garantidos. Então não podemos aceitar o Vale do Aço ser novamente deixado de fora dos investimentos”.

Rosângela Reis – Deputada estadual

Próximas etapas do Samu Regional

Para a segunda fase, os recursos também estão garantidos. O programa receberá R$ 5 milhões de emendas parlamentares, sendo R$ 3,3 milhões da deputada Rosângela Reis e R$ 1,4 milhão do deputado federal Hercílio Coelho Diniz (MDB).

A previsão é até o fim do ano, iniciar a segunda etapa com o atendimento em mais 30 municípios da região. Nessa fase, os locais contemplados são: Santana do Paraíso, Antônio Dias, Jaguaraçu, Marliéria, Dionísio, Córrego Novo, Pingo D’Água, Iapu, Inhapim, Açucena, Bom Jesus do Galho, Braúnas, Bugre, Dom Cavati, Entre Folhas, Imbé de Minas, Ipaba, Joanésia, Mesquita, Naque, Periquito, Piedade de Caratinga, Santa Bárbara do Leste, Santa Rita de Minas, São Domingos das Dores, São João do Oriente, São Sebastião do Anta, Ubaporanga, Vargem Alegre e Vermelho Novo.

Os profissionais que atenderão ao Samu Regional são os aprovados em concurso público pelo Consurge. Uma parceria com o Corpo de Bombeiros também foi feita para dar mais amplitude ao trabalho.

Após implementado, serão oito ambulâncias USA e 33 USB atendendo 86 municípios em todo o Leste de Minas, sendo 19 veículos para o Vale do Aço e 22 no Vale do Rio Doce. A estimativa é atender mais de 1,5 milhão de pessoas em toda o leste mineiro.

Samu Regional do Leste de Minas começa a operar 31 de março com recursos garantidos
Samu Regional do Leste de Minas está com recursos garantidos

Luta pelo Samu Regional

Desde 2013 a deputada Rosângela Reis luta pela implantação do Samu Regional no Vale do Aço. Após incontáveis reuniões e cobranças, em 2017 a iniciativa chegou a ser anunciada, inclusive com a compra de ambulâncias e realização de concurso público, mas não foi implantado pelo Estado.

Então, em 2017, com a informação que o Estado só possuía dinheiro para iniciar um Samu Regional, ou o do Vale do Rio Doce ou do Vale do Aço, Rosângela Reis iniciou a luta pela integração do Consórcio Intermunicipal de Saúde dos Vales (Cisvales) e o Consórcio Intermunicipal de Saúde da Rede de Urgência e Emergência do Leste de Minas (Consurge), sendo o primeiro do Vale do Aço e o segundo de Governador Valadares e entorno.

Após várias reuniões, chegou-se a decisão de unificar as regiões. Após adequações, a data de 31 de março desse ano chegou a ser definida para o início do Samu Regional. Mas a pandemia do novo coronavírus adiou novamente os planos.

Saiba toda a luta da deputada Rosângela Reis pelo Samu Regional

2 comentários

  1. Eu e minha esposa somos bombeiro civil profissional formado em Caratinga queria fazer parte da samu como fazemos

  2. Quero saber se vocês vão chamar as pessoas que já fizeram a prova e foram aprovados na primeira etapa do cisvale?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios *

*

Ir para o topo