Início / Atuação Parlamentar / Samu Regional começa a sair do papel
Samu Regional começa a sair do papel

Samu Regional começa a sair do papel

A partir de fevereiro será iniciada a implantação do sistema de telefonia (192) do Samu Regional do Consórcio Intermunicipal de Saúde dos Vales (Cisvales), em 14 municípios consorciados do Vale do Aço, para atendimento de urgência e emergência. A informação foi divulgada em uma reunião nessa terça-feira (16), na primeira reunião ordinária do consórcio, no auditório do Hospital Municipal Eliane Martins, em Ipatinga. A deputada estadual Rosângela Reis, uma das principais forças políticas que trabalharam pela implementação do serviço, comemorou a notícia e afirmou esperar em breve o aporte financeiro do Estado para o início dos atendimentos. Confira neste link todas as ações realizadas.

“São mais de 800 mil pessoas que serão atendidas pelo Samu. Foram incontáveis reuniões e pedidos para o início do trabalho. Vamos continuar cobrando para as ambulâncias e os profissionais comecem os atendimentos móveis de urgência”, afirmou Rosângela Reis.

As chamadas telefônicas serão atendidas pelos profissionais do Samu na Central de Regulação de Ipatinga. Na mesma reunião, cinco municípios confirmaram adesão ao Cisvales: Imbé de Minas, Vargem Alegre, Dionísio, Naque e Pingo d’Água.

Além da implantação do sistema de telefonia, também terá início as capacitações pelo Núcleo de Educação Permanente (NEP), para os técnicos das Secretarias de Saúde das cidades consorciadas. As ações marcam, efetivamente, o início da organização técnico-operacional dos municípios para a implantação do SAMU Regional. As capacitações terão custo zero para os municípios.

O coordenador do SAMU de Ipatinga, Tiago Tessaro, salientou que “com a transferência da Central do SAMU de Ipatinga para dentro das dependências do Hospital Municipal gera-se uma economia de infraestrutura aos municípios consorciados de aproximadamente R$ 2 milhões. Assim como o treinamento que será realizado pelos profissionais do Samu de Ipatinga, através do NEP, poupará cerca de R$ 800 mil dos cofres das cidades pactuadas. Tudo isso demonstra o empenho da atual diretoria do Cisvales para estruturar a rede de assistência de urgência e emergência com contenção de gastos e resolutividade”, pontua.

Ir para o topo