Início / Atuação Parlamentar / Deputada denuncia irregularidades nas obras da LMG-760
Deputada denuncia irregularidades nas obras da LMG-760

Deputada denuncia irregularidades nas obras da LMG-760

A redução do ritmo das obras e o parcelamento dos salários dos operários foram alguns dos problemas encontrados pela deputada estadual Rosângela Reis (PODEMOS), na pavimentação da LMG-760, durante uma visita ao local. A parlamentar esteve em Marliéria na última sexta-feira (10) e constatou as irregularidades, que serão denunciadas ao Governo do Estado e ao Ministério Público do Trabalho.

Rosângela Reis recebeu diversas reclamações de moradores da região nos últimos dias informando sobre o desaparecimento das máquinas das pistas e a dispensa de trabalhadores. Como uma das principais forças políticas que lutaram pela retomada das obras de pavimentação da LMG-760, a deputada foi ao local fiscalizar a situação.

Em conversa com os operários, eles alertaram à deputada Rosângela Reis que os salários de aproximadamente R$ 900 é pago de forma parcelada, sem nenhuma explicação e em datas aleatórias. O problema tem causado inclusive a desistência de funcionários do emprego. “Pago aluguel e parcelas de cartão. Não dá para aguentar essa situação por muito mais tempo”, reclamou um dos trabalhadores que não foi identificado por motivos de segurança.

“É uma situação grave e não podemos deixar isso ocorrer. Vamos encaminhar essa denúncia ao Ministério Público. Lutamos muito para essa pavimentação ocorrer e não vamos deixar ela parar. Vamos continuar cobrando o andamento da obra e empenho do Governo do Estado. Também já protocolei um pedido de audiência pública na Assembleia Legislativa de Minas Gerais para debater o tema”, afirmou Rosângela Reis.

A obra

A obra foi iniciada em 16 de agosto com mais de 300 trabalhadores. Atualmente, apenas 50 operários atuam na obra e com poucas máquinas que atuavam apenas nos trabalhos de terraplanagem. Segundo as informações do Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DEER/MG), pouco mais de sete quilômetros foram pavimentados e 15 quilômetros foram terraplanados. O Governo do Estado assegurou os recursos para a obra até o fim de 2018 e promete entregar o trecho até a entrada do Parque Estadual do Rio Doce com asfalto ainda neste ano.

A obra está orçada em R$ 134 milhões e a mesma empresa que venceu a licitação feita em 2013, a Tamasa Engenharia S.A., executará a obra de aproximadamente 64 quilômetros de extensão. A pavimentação da LMG-760 vai reduzir o tempo das viagens, garantir mais segurança na estrada, facilitar o escoamento da produção agrícola e industrial da região. Além de promover o turismo no Parque Estadual do Rio Doce, e ajudar a desafogar a BR-381 e assim a melhora na qualidade de vida das pessoas que ali trabalham e residem.

O prazo para a conclusão da obra é de pouco mais de dois anos, com previsão de conclusão em 2020. Além da pavimentação, também está planejado o alargamento da estrada, onde cada pista terá 3,5 metros e acostamento de 1,5 metro. Também está incluso o reforço de pontes sobre três ribeirões e a construção de uma interseção com a BR-262.

Paralisação

A obra da pavimentação da LMG-760 iniciada em 2013, chegou a ficar paralisada por quase quatro anos, a pedido do Ministério Público do Estado. O motivo da interrupção alegado pelo MP foi a falta de licenciamentos ambientais necessários na área do Parque Estadual do Rio Doce.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios *

*

Ir para o topo