Início / Atuação Parlamentar / Chacreiros de Cava Grande pedem ligação elétrica da Cemig
Chacreiros de Cava Grande pedem ligação elétrica da Cemig

Chacreiros de Cava Grande pedem ligação elétrica da Cemig

A deputada estadual Rosângela Reis (PODEMOS) se reuniu, na manhã desta sexta-feira (10), com cerca de 100 chacreiros e sitiantes de dez comunidades rurais no entorno do distrito de Cava Grande, em Marliéria. Os chacareiros pedem a ligação elétrica da Cemig em seus imóveis. O encontro, com a participação do vice-prefeito de Marliéria, José Carlos, além de vereadores e outras lideranças regionais, buscou achar saídas para o a solução do problema que se arrasta há anos.

Ao todo, são cerca de 2.500 famílias que estão sem eletricidade fornecida pela Cemig e hoje contam com geradores e até baterias de caminhões para ter acesso à energia. As comunidades afetadas são a Goiabeira 1 e 2, Bretas, Garrincha, Nova Esperança, Derrubadinha 1 e 2, Sapucaia, Lagoa Seca e Bateria, todas no entorno do distrito de Cava Grande.

Para a solução do problema, a regularização fundiária da área deve ser concluída pela Câmara Municipal de Marliéria para que a Cemig possa ligar os imóveis à rede elétrica. O parcelamento do solo dentro dos próprios hectares adquiridos é um dos entraves para a ligação da eletricidade no local. Um novo georreferenciamento da região também deve ser feito para dar prosseguimento na documentação. Uma nova reunião para tratar sobre o assunto deverá ser agendada entre os chacreantes e a empresa.

Rosângela Reis colocou o mandato dela à disposição e lembrou que em abril deste ano, liderou uma comitiva de Marliéria até a sede da Cemig em Belo Horizonte para tratar sobre o assunto. “As pessoas que estão morando no lugar não tem culpa pela situação, pois compraram de particulares. Então, é preciso regularizar os terrenos de forma legal. A Cemig também se colocou à disposição, mas é preciso passar pelos processos burocráticos. Vamos dar encaminhamento para essa demanda junto com a Cemig e espero que a situação seja resolvida o mais rápido possível”, afirmou a deputada estadual.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios *

*

Ir para o topo