Início / Atuação Parlamentar / Audiência debate fechamento de agências dos correios
Audiência debate fechamento de agências dos correios

Audiência debate fechamento de agências dos correios

Um total de 513 agências da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos – EBCT estão ameaçadas de fechar. Importantes unidades do Vale do Aço, como a do bairro Bom Jardim, em Ipatinga, ou a única de Timóteo, também correm risco de fechar. Para debater a situação e evitar o fim dos serviços, a deputada estadual Rosângela Reis (PODEMOS) participou de uma audiência pública realizada na manhã desta quinta-feira (07), na Comissão de Participação Popular da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).

O fechamento das agências e a demissão de 5,3 mil trabalhadores constariam do chamado Relatório Vivan 002/2018, dos Correios, e segundo a empresa ocorreriam em fases, conforme veiculado recentemente na imprensa. Durante a audiência, a categoria informou que para protestar paralisarão as atividades no dia 18 de julho.

A deputada Rosângela Reis apresentou um requerimento, que foi aprovado na audiência, pedindo o não fechamento das unidades do Vale do Aço. Ela afirmou que somente a agência do bairro Bom Jardim, atende uma população com mais de 20 mil pessoas. “Já a unidade de Timóteo é a única da cidade. O vereador da mesma cidade, Raimundinho, nos procurou e externou sua preocupação. Não podemos deixar isso ocorrer”, afirmou.

Segundo os relatos dos presentes durante a audiência, os Correios seguem ameaçados de privatização pelo governo, sob a alegação de que a empresa seria deficitária. Foram várias as denúncias feitas a respeito do desmonte que ocorreria na EBCT, incluindo a precarização das condições de trabalho.

Até mesmo agências de faturamento alto terão as atividades encerradas pelos Correios. Em Minas Gerais, 14 das 20 unidades mais rentáveis serão fechadas. Os consumidores das regiões afetadas passarão a ser atendidos por agências franqueadas nas proximidades.

Criticando o “enxugamento” da empresa, a deputada Rosângela Reis ainda defendeu mais investimentos e a realização de concursos públicos para a empresa. A situação exposta motivou a aprovação de novos requerimentos da comissão, um deles para visita, já nesta sexta-feira (08), ao Centro de Distribuição Domiciliária (CDD) dos Correios, localizado em Belo Horizonte, no km 26 da BR-262. O objetivo é verificar as condições de trabalho no local.

Denúncia

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos e Similares do Estado de Minas Gerais, Robson Gomes Silva, ressaltou que a EBCT não é responsável apenas pela entrega de cartas, mas também pelo transporte de órgãos para transplantes, das urnas usadas nas eleições e de livros didáticos para a rede pública, além de todo o cadastramento e recadastramento de beneficários de todos os programas sociais do governo.

“Os Correios são o único fator de integração nacional”, resumiu. Ele ainda denunciou que a empresa tem contratado empregados terceirizados para atuar em centros de triagem, recebendo R$ 6,61 por hora em um trabalho, segundo ele, precarizado.

 

Ir para o topo